Fazemos Bem

Prémios Fazemos Bem 2017

A iniciativa “Prémios Fazemos Bem” pretende valorizar os empreendedores portugueses, destacando a excelência de quem ajuda a criar riqueza em Portugal. Ao longo de 2017, entre julho e dezembro, o JN dará a conhecer as 6 melhores empresas no capítulo da Inovação, das Exportações e do Crescimento, num total de 18 reportagens.

Membros do júri


Carlos Brito
Pró-reitor da Universidade do Porto para o Empreendedorismo e Inovação e diretor da UPTEC..

Fernando Alexandre
Pró-reitor da Universidade do Minho para a área da Valorização do Conhecimento.

Fontainhas Fernandes
Reitor da Universidade de Trás–os-Montes e Alto Douro.

Paulo Nunes de Almeida
Presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP).

Pedro Araújo
Editor do “Dinheiro Vivo”.

Ricardo Luz
Empresário, sócio da Gestluz Consultores.

Auditor

José Carmo
Partner da Carmo & Cerqueira.


Os prémios Fazemos Bem são uma marca da ligação do JN ao tecido empresarial e ao empreendedorismo económico, que o jornal e os seus parceiros têm projetado como uma escola de práticas de sucesso. Ao longo dos últimos anos, temos feito do exemplo das empresas selecionadas por um júri de relevo, o ponto de partida para o debate sobre economia e para destacar, através dos prémios, os melhores entre os melhores.

A entrar na sua 5.ª edição, Os prémios Fazemos Bem querem continuar a ser, uma forma de encarar a economia pela positiva, num evento de destaque nacional, que é um ponto de encontro de agentes económicos motivados e um momento para a discussão dos desafios dos diferentes setores da atividade.

Atento à evolução das práticas empresariais, temos vindo a evoluir no modelo deste prémio e vamos, em 2017, apresentar uma edição que procura reforçar o trabalho de intercâmbio de experiências e de divulgação dos melhores exemplos em áreas cruciais para se medir e propagar o sucesso de empresas e marcas.

Através de um júri de relevo que integra representantes das três universidades do Norte e é assessorado por uma empresa de consultadoria, serão selecionadas seis empresas de múltiplos setores da economia, dividindo-as depois por três critérios: Inovação, Exportação e Crescimento.