Fazemos Bem

29/06/2015

Orientar negócios para a exportação

A Exponor, em Matosinhos, foi o palco da conferência “Prémios Fazemos Bem 2015”, dedicada ao setor primário e agroindustrial. Num evento que consagrou a Vitacress como vencedora do primeiro ciclo de 10 empresas de sucesso, o anfitrião Paulo Nunes de Almeida, presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP), aproveitou para destacar a afirmação que se começa a verificar nesta área de atividade.

“Continuamos a presenciar vários sinais que estarão a produzir uma inflexão da trajetória descendente do setor em décadas anteriores”, referiu o líder da AEP, destacando o aparecimento de jovens agricultores com formação, a ligação de negócios agrícolas com o sistema científico e tecnológico, assim como o desenvolvimento de produtos inovadores e diferenciados.

Paulo Nunes de Almeida considera que o “setor primário assume uma importante função no crescimento sustentado da economia portuguesa e do território nacional”, estando a AEP empenhada na consolidação deste maior contributo. “A orientação para um modelo assente nos setores transacionáveis da economia, inclui necessariamente a revitalização do setor primário, de forma a promover a substituição competitiva de importações e a fomentar o incremento das exportações”, explica.

Este responsável realça as ações de apoio à internacionalização do programa “Portugal Sou Eu”, organizado pela AEP, que entrou agora na segunda edição, onde o setor agroalimentar tem tido elevada participação. “O programa envolve, entre produtos do setor primário e da indústria alimentar e bebidas, 73% do total”.

O repto para uma maior capacidade exportadora expande-se a todos os setores. “Temos testemunhado o interesse crescente por parte de muitas empresas em apostar no aumento do valor acrescentado dos seus produtos e na internacionalização da sua atividade, com vista ao reforço da sua competitividade nos mercados interno e externo”, frisa.Paulo Nunes de Almeida - Presidente AEP